Seu filho poderá viver menos que você

Pierre Maestri

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Pois é, um dado alarmante. Pela primeira vez na história estima-se que os filhos poderão viver menos do que seus pais. Um dos principais fatores para isso é a alimentação inadequada e a falta de exercício físico, levando ao sobrepeso e obesidade. E ainda, sobrepeso e obesidade já são consideradas um problema de saúde pública maior que a desnutrição. E Quem confirma esse alerta são a Organização Mundial da Saúde, o especialista em obesidade, cirurgião bariátrico e presidente eleito para a gestão 2017 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Caetano Marchesini e o Ministro da Saúde, Ricardo Barros.


Fomos de um extremo ao outro, enquanto o ideal seria o meio do caminho

A situação é tão grave que a Organização Mundial de Saúde (OMS) já disparou o ”alerta vermelho” da obesidade infantil ao redor do mundo, principalmente em países emergentes, como é o caso do Brasil. Podemos ver que os números confirmam esta informação: Desde o início da década 90 até 2014 subiu mais de 10 milhões o número de crianças com sobrepeso, chegando a 41 milhões no mundo. No Brasil, em 2010 estimava-se pelo IMC que uma em cada três crianças apresentava sobrepeso, já em minhas análises de composição corporal realizadas pelo meu programa Muito Além do Peso em 2015 esse número chegou a 54% das crianças e adolescentes.

O próprio governo reconhece que temos que ter uma mudança na política pública, onde o próprio Ministro da Saúde Ricardo Barros, disse em 15 de agosto 2016:

é preciso ensinar os brasileiros a comer bem para evitar enormes demandas para o sistema de saúde no futuro…

A obesidade e sobrepeso contribui para vários problemas de saúde, mas ele mesmo reconhece que o próprio governo patrocina uma alimentação inadequada com seus programas de cesta básica, restaurante popular e merenda escolar, todos com muitos produtos industrializados, calóricos e pouco nutritivos. O Ministro ainda salienta que a prioridade número 2 no governo é a prevenção para diminuir a demanda para os sistema de saúde e confirma em sua frase:

… melhor que ser muito bem atendido em um posto de saúde é não precisar ir ao posto de saúde… As pessoas precisam cuidar bem de sua saúde, pois a obesidade e o sedentarismo são grande problemas de comportamento, custam caro ao sistema e são, muitas vezes, decisões pessoais. Temos que educar as pessoas para evitar esse problema.

Este é um dos problemas, mas há outros, como o sedentarismo, por exemplo. Para o especialista Dr Caetano Marchesini as crianças e adolescentes, hoje, quase não se exercitam mais. Elas precisam gastar calorias, no entanto, vemos cada vez menos brincadeiras ao ar livre e cada vez mais incentivo para atividades relacionadas ao videogame, tablets e televisão. Imagina, 86,7 % dos adolescentes não praticam atividade física recomendada de pelo menos 60 minutos por dia segundo a OMS.

Na visão da OMS, os programas para frear a epidemia que se tornou a obesidade infantil estão sendo ineficazes e é preciso pensar em novas formas de combater este mal.

Temos que mudar os hábitos de vida das crianças e adolescentes ao que se refere à exercícios e alimentação, orientando-os a como escolher melhor os alimentos e a praticar exercícios todos os dias. Em minhas análises tenho resultados onde a hidratação celular, massa muscular e metabolismo estão baixos, juntamente com o percentual de gordura elevado. No entanto gordura corporal se encontra entre níveis normal e alto. Isso é um forte indicativo que pequenas atitudes podem fazer a diferença, pois ao educarmos a quantidade certa de água, aumentarmos a quantidade de aulas na semana de educação física nas escolas (de 1 a 2 vezes para de 3 a 5 vezes) e claro, mudar radicalmente a proposta da educação física (que atualmente são apenas a prática de esportes coletivos) para exercícios para motricidade, condicionamento físico, força, cardiovascular, saúde e outros.

Tudo isso irá acelerar o metabolismo em uma reação em cadeia que consequentemente baixará o percentual de gordura e em segundo passo diminuirá a massa de gordura corporal.

Ao aumentarmos nossos músculos com hidratação e atividade física, nosso metabolismo ficará mais acelerado pois o mesmo é controlado pela massa muscular. E o melhor de tudo, criaremos hábitos de prática de exercícios e hidratação para o resto da vida diminuindo gastos com saúde e tendo um rendimento escolar melhor.


 


Pierre Maestri

Deixe um Comentário

* Indicar Campos Obrigatórios